COVID-19 - Medidas adoptadas pela Justiça
Reabertura das conservatórias de Registos
Destaques

Registo de marcas aumenta 16 por cento em 2017

No ano passado deram entrada no INPI mais de 22.500 pedidos de novas marcas

O registo de novas marcas conheceu, em 2017, um valor máximo, atingindo as 18.700 atribuições, revelam as estatísticas do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).


Este resultado vem reforçar a importância da defesa da propriedade industrial em Portugal. Com uma média de 1.900 pedidos de marcas submetidos mensalmente, Portugal é um dos países europeus com o maior número de marcas por habitante.


A maioria dos registos de novas marcas encontra-se centrada nas áreas da publicidade e negócios comerciais, educação, atividades desportivas e culturais, bebidas alcoólicas e restauração.


Já relativamente aos pedidos de patentes, em 2017 houve um decréscimo de 9,9% em relação a 2016, sento pedidas 846.Foram validadas em Portugal 5.223 patentes europeias, mais 8,8% que no ano anterior.


Este resultado permite identificar uma mais fraca utilização das outras modalidades de PI que não marcas, existindo um espaço de intensificação na divulgação do design e das patentes junto do tecido empresarial português.


Recorde-se que, no ano passado durante o Web Summit, o Governo aprovou um regime temporário de isenção e redução das taxas do INPI, com um desconto para os pedidos de registo de design ou patente realizados durante o evento, para além da isenção de taxas de propriedade industrial para as startups que integravam o programa de pré-investimento desta mostra.